Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 29 de março de 2012

497° Dia – Torres – 27/03/2012 – Terça-feira


Acordamos no meio da noite devido ao vento e à chuva. Além disso, como TUDO nesta viagem está com o prazo de validade expirando, uma das varetas da barraca se partiu ao meio. Como era meio da madrugada, estava frio e chovendo, viramos para o lado e continuamos a dormir. Mais alguns minutos e começou uma goteira bem nas nossas cabeças. Aí sim fomos obrigados a levantar e puxar o colchão um pouco mais para o lado para continuarmos com o nosso descanso.
Acordamos renovados, pois o dia de ontem foi puxadinho no pedal. Assim que levantamos, fomos dar uma espiadinha nas novidades e aproveitarmos o tempo parados para entrar em contato com a família. Depois de um tempinho, a fome começou a bater e fomos num mercadinho para comprar o nosso café da manhã. De volta ao camping, aproveitamos que este oferece uma excelente área de convivência para comemorarmos o nosso retorno ao Rio Grande com um café colonial! Tivemos direito a mingau de aveia com banana, pães, bolos, chimias, frios, leite e fruta.
Ficamos empanturrados de tanto comer. Desta forma, só nos restou jiboiarmos um pouco em frente ao computador. Lá pelas 12h, abriu um solzinho e aproveitamos a oportunidade para darmos um pulinho na beira da praia. A caminhada foi curtinha e em poucos minutos já estávamos no Parque da Guarita.
O local é belíssimo e possui inúmeras trilhas para conhecer toda a extensão do parque. Iniciamos a nossa visita pelo Morro das Furnas. O local é o mais alto de Torres (66m de altitude) e possui diversas furnas (cavernas) na altura em que as ondas batem nos paredões rochosos. Vale a pena dar uma caminhadinha neste local, pois é algo bem diferente e belíssimo.
Após uns 30min passeando no morro e admirando a paisagem, chegamos à Praia da Guarita. Considerada a mais bela de Torres, possui uma paisagem muito bonita. Com grandes morros nas duas extremidades e uma formação rochosa em seu centro, tem características únicas (principalmente se comparada às demais praias gaúchas). Como já estávamos um bom tempo sem entrar no mar (desde a Ilha do Mel) e era o nosso primeiro destino no Estado, fomos molhar os pés na água.
Surpreendemo-nos com uma água morninha e me animei a dar um mergulho. Que coisa boa se sentir em casa novamente (mesmo faltando pedalar uns 230Km)! Saindo da água, o vento gelado batia com força, mas o sol a pino ajudava a esquentar. Como o clima não estávamos dos mais convidativos para permanecermos na praia, rumamos de volta ao camping. Assim que chegamos, a Cris foi dar mais uma recostadinha para se recuperar da dor de cabeça que estava sentindo desde que acordou.
Agora estou escrevendo este relato e fechando os últimos detalhes do passeio ciclístico de encerramento da viagem. Mais tarde, daremos mais uma passadinha no mercadinho para comprarmos os ingredientes para prepararmos um belo strogonoff. Ainda pretendemos falar com a família e amigos, pois, mesmo nos aproximando, a saudade é grande. Ah, não podemos nos esquecer de arrumar a barraca para encararmos mais uma noite de fortes ventos. Só faltam 4 dias...

Gastos
- Camping: R$30,00   - Mercado: R$40,05

Nenhum comentário:

Postar um comentário